sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Aquarela.

Quando se perdem os desejos se perdem também as cores.
É como se a vida tivesse sido ceifada e a única coisa aparentemente presente é um corpo, tal qual uma múmia.
Apreciar o nada tem seu valor, portanto delirar diante da explosão do mundo é ressuscitar o desejo.
Gosto do estrago.[ por isso, vivo meus desejos]
Nada de ensejos.
Somos responsáveis por nossa excitação[felicidade] e por nossa desilução e é exatamente onde a confusão está.
Uma fase é separada da outra por uma linha tênue. Tanto faz cuidar do equilibrio, se a linha tiver que ceder, certamente será um rompante.
Por isso,meus desejos estão colorindo os meus olhos, renovando minha fúria,alegrando o meu descontrole[totalmente controlado] emocional.
Acredite na conexão entre desejos, não há força que anule a realização.
Bruna Oliveira

Um comentário:

Bob Marinho disse...

desejos são enganosos...é bom tomar cuidado com eles...são legais as vezes, mas podem ser muito traiçoeiros...

bjo